|   CONTATO   |   DÚVIDAS FREQUENTES
      Aconteceu no Zôo
      Administração
      Agências de Turismo
      Agendamento Visitas
      Alimentação Animal  
      Bastidores
      Concurso Público
      Enriquecimento
      Educação e Pesquisa
      Espaço para Eventos
      Fazenda do Zôo
      Gestão Ambiental
      Horário de Funcion.
      Informações
      Infra-Estrutura
      Ingressos
      Licitações
      Normas - Visitas
      Ouvidoria
      ECOPEFI








ANIMAIS: MAMÍFEROS

TAMANDUÁ-MIRIM

Ordem: Xenarthra

Família: Myrmecophagidae

Nome popular: Tamanduá-mirim

Nome em inglês: Lesser anteater

Nome científico: Tamandua tetradactyla

Distribuição geográfica: América do Sul

Habitat: Campo, florestas

Hábitos alimentares: Insetívoro

Reprodução: Gestação de 130 a 150 dias

Período de vida: Aproximadamente 9 anos



O tamanduá-mirim faz parte da família Myrmecophagidae, juntamente com os tamanduás-bandeira e os tamanduaís, e de uma ordem extremamente primitiva, os xenarthras, que possuem baixa temperatura corpórea e baixo metabolismo, associados aos hábitos arbóreos e ao consumo de alimentos pouco energéticos. Os baixos níveis metabólicos são influentes nos longos períodos de gestação, cuidados com filhotes (parentais) e número reduzido de crias.

No que se refere ao estudo evolutivo dos seus parentes mais próximos (uma ciência chamada Cladística), os tamanduás-mirins descendem de um ancestral comum ao dos tamanduás-bandeira. Havia apenas uma espécie que, por algum motivo geográfico ou genético, dividiu-se em dois gêneros distintos, Tamandua: tamanduá mirim e tamanduá mexicano e Myrmecophaga: tamanduá bandeira. Já o tamanduaí (Cyclopes), é um parente próximo da espécie que deu origem a eles.

O tamanduá-mirim ocorre na América do Sul, a oeste dos Andes, Venezuela, ao norte da Argentina e no Brasil. Seu comprimento total pode variar de oitenta e cindo a cento e quarenta centímetros, com peso de dois a sete quilos. Possui uma cauda que muitos pesquisadores consideravam preênsil, mas foi constatado que ela apenas auxilia na locomoção e na captura de alimentos nos galhos mais altos, sendo semi-prêensil.

Suas patas anteriores, como as dos outros da mesma família, constituem-se de garras centrais aumentadas, são capazes de flexões e rotações variadas para obter alimento, escalar e defender-se. As patas posteriores, ao contrário, possuem cinco dedos pequenos com unhas proporcionais. Apesar do baixo metabolismo, correm em velocidade considerável. Quando acuados ou irritados põe-se em posição de defesa, sobre as patas posteriores, com o auxílio da cauda, os membros anteriores abertos como pinças esperando para agarrar a vítima.
Antes de serem classificados como Xenarthras eram os chamados Edentatas, os que não possuem dentes verdadeiros. Para evitar acidentes corriqueiros de identificação, mudou-se para Xenarthras. Os tamanduás não possuem dentição, e por isso têm as garras potentes para defenderem-se e quebrar cupinzeiros, e uma língua longa e revestida de muco para que seja totalmente eficiente na captura do alimento. Seu olfato também é muito desenvolvido.

É fácil identificar a maioria dos tamanduás-mirins, pois apresentam no dorso, além do amarelo que varia do bem claro ao tom ouro, um “colete” preto que sai dos ombros e acaba na base da cauda. Em algumas regiões, entretanto, há tamanduás-mirins totalmente amarelos! Sua cauda é pelada com algumas manchas escuras. Seu crânio tem formato alongado, juntando-se ao focinho, à boca e aos olhos muito pequenos. Tudo para facilitar suas investidas em buracos pequenos de cupinzeiros.

É muito difícil encontrar um indivíduo de tamanduá-mirim durante o dia, já que são de hábitos crepusculares e noturnos. Dentro de 350 a 400 hectares pode-se encontrar dois indivíduos. São solitários, encontram-se apenas em época de reprodução. As fêmeas são poliéstricas com gestação que varia de 130 a 190 dias, gerando apenas um filhote. Não está na lista do IBAMA de animais ameaçados, porém é necessário cuidar das matas e do cerrado para que continue assim. Em cativeiro vivem em média nove anos.

Simonne Chinem
Bióloga
Atualizado por Ricardo Avari
Biólogo do CEMAS-CECFAU/FPZSP

MAMÍFEROS

Anta (Tapirus terrestris)

Cachorro-vinagre (Speothos venaticus)

Camelo (Camelus bactrianus)

Cervo-nobre (Cervus elaphus)
Chimpanzé (Pan troglodytes)
Dromedário (Camelus dromedarius)
Elefante-africano (Loxodonta africana)
Gato-do-mato pequeno (Leopardus tigrinus)
Gato-maracajá (Leopardus wiedii)
Gibão de mãos brancas (Hylobates lar)
Girafa (Giraffa camelopardalis)
Grande-Kudu (Tragelaphus estrepsicerus)
Hipopótamo (Hippopotamus amphibius)
Jaguatirica (Leopardus pardalis)
Jupará (Potos flavus)
Leão (Panthera leo)
Leão-marinho (Otaria byronia)
Leopardo-das-neves (Uncia uncia)
Lobo-europeu (Canis lupus)
Lobo-guará (Chysocyon brachyurus)
Lontra (Lontra longicaudis)
Macaco Barrigudo (Lagothrix lagotricha)
Macado-parauacu (Pithecia pithecia)
Macaco-Prego Galego (Cebus flavius)
Mico-leão-de-cara-dourada (Leontopithecus chrysomelas)
Mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia)
Mico-leão-preto (Leontopithecus chrysopygus)
Onça-parda (Puma concolor)
Onça-pintada (Panthera onca)
Orangotango (Pongo pigmaeus)
Quati (Nasua nasua)
Rinoceronte branco (Ceratotherium simum)
Suricata (Suricata suricatta)
Tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla)
Tamanduá-mirim (Tamandua tetradactyla)
Tatu-peba (Euphractus sexcintus)
Tigre-Siberiano (Panthera tigris altaica)
Urso de óculos (Tremarctos ornatus)
Zebra de Grévy (Equus grevyi)
ANIMAIS DO ZÔO
Aves
Mamíferos
Nativos da Mata
Répteis
 
Copyright© 2003-2007. Fundação Parque Zoológico de São Paulo. Todos os direitos reservados.
desde 15/11/1997

FUNDAÇÃO PARQUE ZOOLÓGICO DE SÃO PAULO

ZOOLÓGICO
Avenida Miguel Stéfano, 4241 - Água Funda - São Paulo - SP - CEP: 04301-905
Fone: (11) 5073-0811 / Fax: (11) 5058-0564
Horário de Funcionamento- 9:00 às 17:00 horas - de terça a domingo - fechamento da bilheteria : 16:00 h
*Abre as Segundas-feiras somente quando for feriado ou véspera de feriado

ZÔO SAFÁRI
Avenida do Cursino, 6338 - Vila Moraes - São Paulo - SP - CEP: 04169-000
Fone: (11) 2336-2131 / Fax: (11) 2336-2143
Horário de Funcionamento - 9:00 às 17:00 horas - de terça a domingo - fechamento da bilheteria : 16:00 h
*Abre as Segundas-feiras somente quando for feriado ou véspera de feriado